expr:class='"loading" + data:blog.mobileClass'>

sábado, 17 de Setembro de 2011

Vida em Marte - por Mestre Ramátis


O Bem Amado Mestre Ramátis é atribuído a muitas obras, pois é frequente médiuns terem contacto com este mestre repleto de sabedoria, ele já transmitiu e transmite, variados temas, desde chacras, métodos de lutar magia negra, profecias, chacras, entre muitos e muitos outros.
A sua última reencarnação foi em Indochina no século X d.C., e antes dessa teve presente em várias civilizações importantes, tais como no Egipto, Grécia, Índia, Atlântida e Lemúria. Muitos acreditam que exista uma ligação muito próxima entre este Mestre com Lord Rama e a sua esposa Sita, devido ao seu nome.
Em uma das suas várias obras, o Mestre Ramátis, trabalhou com o escritor Hercílio Maes, num texto psicografado, onde nos conta como é a vida no planeta Terra.
Depois de ter lido esta maravilhosa obra, gostaria de apontar aqui alguns tópicos, algumas informações sobre o mesmo assunto, pois acho importante termos consciência plena do Universo que nos envolve.

A obra é dividida em 29 capítulos, cada um trabalhado um tema diferente, desde aspectos gerais dos marcianos até a assuntos completamente triviais, tais como a sua alimentação e maneira de viver.
O Mestre salienta desde logo que os habitantes do planeta Marte estão mais adiantados moralmente, um milénio á frente do planeta Terra, e no campo científico, cinco séculos.
A aparência dos seres de Marte, não são como os nós por vezes pintamos, são seres muito parecidos com os terrestres fisicamente, pois fazemos parte do mesmo sistema solar, mas salienta que apenas existem duas raças em Marte, uma muito idêntica aos ditos "caucasianos" terrestres, pele branca, cabelos loiros e olhos claros, já a segunda raça é muito similar aos habitantes da América do Sul, peles mais escuras, cabelos escuros e olhos com nuances mais castanhas, ambas as raças vivem em plena harmonia, reconhecendo que ambas vem do mesmo Deus.
O oxigénio é mais ténue que o existente na Terra, mas existe, a diferença é que os pulmões marcianos conseguem captar pouco mas com qualidade, já nós captamos muito e poluído, tal como a água, que também existe mas muito menos denso e com um tom cristalino.
Os habitantes de Marte tem uma grande variedade de vestuário, mas á algo que é predominante, o tecido, que é elástico e de rápida adaptação ao corpo de quem o usa.
O casamento não é como no planeta Terra, não é baseado em juras de amor ardente e promessas futura, mas sim a ver com a união espiritual, uma união mística, cheia de simbolismo e com verdadeiro amor e respeito. Dessas uniões nascem crianças amadas, mas desde cedo orientadas que a sua família é apenas um meio de evolução e um suporte, e não algo que temos que estar presos ou ter obrigações, a partir de certa idade, os jovens tem a escolha de seguir o seu caminho sem qualquer impedimento.
A educação é baseada pelos pais e pelas escolas, que se aparentam com as nossas escolas actuais, de arquitectura rectangular e com o uso do vidro, também captam toda a energia solar possível para sustentar as necessidades da mesma. Nela aprendem o mesmo que os alunos cá no nosso planeta aprendem, em base não muda muito, a não ser os valores morais e espirituais que são introduzidos, que na Terra, infelizmente ainda não são. As salas de casa tema escolar integram uma cor que fornece uma vibração energética diferente, por exemplo, os alunos que ingressam em medicina ambientam-se num espaço verde, o uso da cromoterapia.
Todas as carreiras merecem ensino pedagógico e ingressam também nos mistérios esotéricos da mesma, já os livros lá costumam ter um nome especifico, "Livros Definitivos", constituídos por um material muito parecido com a seda, são feitos com imagens e informação animada, cheias de vida, com a função que dar aos alunos mais vontade de aprender.
O idioma falado em Marte é muito semelhante a mantras, quase como se falava na Lemúria e na Atlântida, um sistema de sons sagrados, já a sua escrita é feita por caracteres, por isso é de maior facilidade ao escrever, até com maior rapidez, mas é preciso aprender, pois também não é fácil.
Em Marte a Religião está conjugada com a Ciência, não existe qualquer guerra entre ambas, e também existem diversas "igrejas" ou "cultos" diferentes, mas todos se interligam entre ambos, todos aceitando que se unem a Deus, que é Uno, logo respeitam-se.
Um dos locais de culto é o "Templo da Filosofia Divina", um templo com uma cúpula vítrea, todo em azul celeste, lá os seus adeptos oram e entram em estágios de meditação elevados, discutindo pensamentos, tal como existia na Escola de Filósofos em Atenas.
Doenças já não é um problema em Marte, Ramátis revela-nos que existem alguns problemas digestivos e circulatórias da parte das almas recambiadas de outros planetas, principalmente os habitantes do nosso planeta.
Existem ainda algumas doenças psicológicas a serem tratadas e também os traumas que muitas trazem consigo. É óbvio que Marte já passou por muito na sua evolução e também já teve doenças como as nossas.
A alimentação é fundamentalmente vegetariana, repleta de frutos, vegetais, geleias, frutos secos e muito mais. Eles são alheios á nossa digestão, pois não necessitam de comer para viver, apenas o fazem para complemento físico, não com a mesma frequência que nós, Terrestres.
Mas não pensem que a vida se trata apenas de trabalho e dever, os marcianos também tem os seus hobbies, entre desportos praticados, dando muito valor aos desportos acrobáticos, já que a gravidade não é a mesma que na Terra.
A música e a pintura também um é muito respeitado, tal como no nosso planeta, mas á diferença de nós, o povo de Marte, ouve música das esferas, ligada aos planos mais subtis, um tipo de música com alguma parecença com a nossa clássica, mas muito mais subtil. Eles tem vários instrumentos idênticos aos nossos com maravilhosos sons, que o nosso planeta ainda não descobriu, esses aparelhos produzem cores e imagens no ar, fazendo não só um belo espetáculo de música mas também visual, aliás tal como a pintura, que é feita sobre telas de vidro luminoso, fazendo assim que as tintas marcianas deem uma aparência tridimensional ás obras e muita luz.
A Fauna e a Flora de Marte é muito desenvolvida e tem espécies que nunca conhecemos, eles dão grande valor aos seus irmãos animais, e nunca os aprisionam ou fazem espetáculos com eles, tal como nós terrestres adoramos fazer em circos e zoológicos, dão grande valor ás aves, falam-nos de um belo pássaro azul que canta gloriosamente bem, uma ave sagrada, que quando chega ao dia da sua morte, liberta um som glorioso, difícil de descrever. Ramátis fala também de um pássaro gigantesco, já avistado por astrônomos terrestres, que consegue voar entre o planeta Marte e os seus satélites, Fobos e Deimos.
 Em norma muitas plantas tem a mesma tonalidade do solo de marte, um tom laranjada e vermelhado, também ligado á luz que recebe do sol, mas este planeta tem grande variedade de frutos e flores, muito belos e de diversas cores, e existe em especial uma luz que captura a luz solar de dia e de noite tornam-se lanternas noturnas, que acabam por se apagar quando a energia que absorveram se esgota. Os Marcianos são muito apreciadores de belos canteiros nas suas casas e grandes jardins.
Poderia ficar aqui durante muito tempo, pois o livro tem muitas mais informações valiosas deste planeta maravilhoso, mas não tenho essa oportunidade, mas se tiverem a possibilidade de comprar este maravilhoso livro recomendo, é uma óptima jóia de luz.

Nunca se esqueçam que Marte é um planeta muito mais evoluído que o nosso, já todos os seus habitantes são clarividentes, são benignos e ligados a Deus, e é de um egoismo imenso o ser humano que somos os únicos no Universo, se assim fosse, Deus apenas tinha criado a Terra.
E lembrem-se que nem a Terra nos pertence, muitos astrônomos dizem arrogantemente que vão colonizar Marte e a Lua, isso não passa de uma frívola ilusão, de pessoas que se deixaram engolir pelo ego.
Marte já tem habitantes, e nós não temos o direito de roubar o que é dos outros, nem a Lua é nossa e muito menos o planeta Terra o é, já vamos pagar os danos que causamos a esta "casa alugada" em futuro, se já não o estamos a pagar.
Limitemo-nos a crescer espiritualmente, moralmente e cuidar do nosso belo planeta, a vida não acaba.
Vamos transformar o nosso Planeta Terra num belo e agradável local para viver, tal como Marte, vamos todos evoluir meus irmãos. 



Jai Gurudev

4 comentários:

  1. Ah aqui eis Ramatis!!!

    O do livro que estavas a ler =D

    muito bem! Achei interessante a forma como ele explica as coisas...

    ResponderEliminar
  2. ahahaha é verdade, este livro veio parar nas minhas mãos por tua causa, já conhecia Ramatis de outras obras, mas esta é deveras fascinante.

    ele e bastante directo e basico na maneiro como explica as coisas, ele nao quer que as pessoas se enganem e levem as palavras dele em diversos sentidos, por isso falar de uma maneira tao comum.

    um abraço amigo!

    ResponderEliminar
  3. Ola Rodrigo,

    sim e deveras interessante, e recomendo a todos a ler esta bela obra.

    Abraço

    ResponderEliminar